Homenagem do CRECISP aos Profissionais de Saúde

CRECISP assina protocolo para abertura das imobiliárias da Capital

Matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo em 13/06/2020

No dia 09 de junho, o Conselho participou da solenidade de assinatura do protocolo de medidas a serem tomadas pelas imobiliárias da cidade de São Paulo, para o reinício das atividades, a partir de 10/06.

O documento foi subscrito pelo Secretário Municipal da Casa Civil, Orlando Faria, pelo presidente da Câmara Municipal, Eduardo Tuma, pela secretária municipal de Desenvolvimento e Trabalho, Aline Cardoso, pela vereadora Janaína Lima, sob o aval do prefeito da Capital, Bruno Covas.

Além do presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto, também assinaram os presidentes do Seconci, Haruo Ishikawa; do Secovi, Basílio Jafet; da AABIC, José Roberto Graiche Júnior; e da ABRAINC, Luiz Antonio França.

Bruno Covas agradeceu pela colaboração de todas as entidades que se dispuseram a debater com a Prefeitura as melhores formas de reabertura com segurança do setor imobiliário o que, segundo o prefeito, é um dos maiores desafios da cidade de SP.

O protocolo aceito pela prefeitura inclui as seguintes medidas:

- Distanciamento social, atendimento presencial reduzido, distância de 1,5 m entre as pessoas, visitas limitadas a uma família por vez;

- Higiene pessoal, uso de máscaras, lavagem e higienização de mãos com álcool 70%, fornecimento de kit higienizado a clientes (com caneta e material promocional);

- Divulgação dos protocolos com informaçõe sobre as medidas em cartazes, folhetos e por meio eletrônico;

- Testagem de colaboradores;

- Horários alternados de funcionamento e turnos diferenciados aos colaboradores;

- Agendamento e atendimento por quatro horas diárias;

- Trabalho em home office sempre que possível e condições especiais àqueles que não tenham quem cuide de seus dependentes.

Plano São Paulo

A despeito da retomada das atividades imobiliárias na Capital, em outras regiões do Estado, o governo de SP decretou um retrocesso nas medidas e o retorno ao isolamento como forma de combater o aumento no número de casos da COVID-19 e o caos no sistema de saúde.

As regiões de Presidente Prudente e Barretos, que estavam na Fase 3 de liberação, regrediram para a Fase 1, em que estão proibidas todas as atividades não essenciais. E a região de Ribeirão Preto, que havia sido enquadrado na Fase 2, também retrocedeu para a Fase 1.

Foram ainda enquadradas na Fase 2, Araraquara/São Carlos e Bauru, que estavam na Fase 3, e a Grande São Paulo, Baixada Santista e Vale do Ribeira – que tiveram resultados mais positivos relacionados à pandemia, passando da Fase1 para a Fase 2.

Para saber mais detalhes a respeito das limitações de cada cidade, o CRECISP orienta que os corretores e imobiliárias consultem os decretos municipais vigentes e as possíveis alterações que venham a acontecer, adequando-se às restrições impostas.